03 de Maio: Dia internacional de Oração

03 de Maio: Dia internacional de Oração
4 de junho de 2007 JOCUM Brasil Comunicação

Em comunhão com nossos companheiros membros da Equipe de Liderança Global da JOCUM – o GLT – estamos convocando todos os JOCUMeiros para se juntarem a nós em um dia de intercessão aos 03 de Maio de 2007, uma quinta-feira. Temos estado profundamente preocupados com o aumento das doenças graves, ferimentos e expulsões forçadas envolvendo nossos obreiros de JOCUM ao longo dos últimos anos. Esses nossos “acidentes” parecem suspeitosamente freqüentes. Alguns de nossos JOCUMeiros têm sido atormentados por governos hostis ou grupos religiosos enquanto outros têm sido atingidos por doenças físicas e emocionais. Sentimos a necessidade de aumentar de maneira pró-ativa e corporativa, nossa intercessão em nível de batalha espiritual por nossos obreiros que estão na linha de frente.

No dia 03 de Maio próximo, por favor, estejam orando uns pelos outros, pelos seus líderes e, especialmente, pelos JOCUMeiros ao redor do mundo sob ataque neste momento.

Da mesma forma, considerem também a opção de estarem jejuando. Pedimos que dedique uma atenção toda especial para aqueles nossos obreiros que têm levantado toda uma resistência espiritual ao levarem as Boas Novas de Cristo àqueles que ainda não tinham ouvido. Além disso, como um ato adicional de batalha espiritual e generosidade, por favor, considere dar uma oferta financeira para o fundo de ajuda “Storehouse Fund”, um fundo para assistir aos obreiros em épocas de crise severa (veja instruções ao final desta carta).

Obrigado por separar este dia em seu calendário pessoal e de ministério para unir-se a nós e a outros JOCUMeiros ao redor do mundo. Vamos juntos pedir ao Pai por Sua benção de proteção, saúde, e de derrota do inimigo reunido contra nós.

Resistindo com vocês,
Gina Fadely – Diretora Internacional de Missões de Fronteiras
Tom Bloomer – Reitor Internacional da Universidade das Nações – UofN
Maureen Menard – Diretora Internacional do Centro de ETED

Para enviar doações – Fundo de JOCUM “YWAM Storehouse Fund”

1 – Cheques em Libras (Inglaterra), dólares ou euros nominais para “YWAM” pode ser enviados diretamente para: YWAM Storehouse fund, c/o Highfield Oval. Harpenden Herts Al5 4BX. Inglaterra-UK.

2 – Transferências bancárias podem ser enviadas do seu banco para:

Banco: Bank NatWest PLC. 16 The Boulevard. Crawley. West Sx. RH10 1XU
Código Sort: 60 – 06 – 20
Código Swift: NWBKGB2L
Favorecido: Youth With A Mission Limited
Conta para depósito: 56972989
Número IBAN: GB52NWBK60062056972989

* Por favor, ponha “Storehouse Fund” no box de detalhes da sua transferência para garantir que o dinheiro vá para a conta certa e então, por favor, mande um e-mail para Steve Sharp (ssharp@oval.com) após realizar a transferência, especificando a data e o valor.

CARTA DE TOM BLOOMER À COMUNIDADE JOCUMEIRA´.

Queridos amigos,

Tenho a impressão de que o que precisamos fazer nesta altura é AMARRAR O HOMEM FORTE.

Jesus disse: ‘Como alguém pode entrar na casa do homem forte e levar dali seus bens, sem antes amarrá-lo?’ (Mat. 12:29)

Em nossa reunião de liderança internacional em Fortaleza, Brasil, creio que em 1997, Steve Goode pediu orações porque nossos obreiros no Afeganistão estavam sob perigo real; e nosso líder no Egito nos contou que ele estava enfrentando prisão imediata após seu retorno para casa. Tive a sensação de que devíamos nos levantar, tomar autoridade, e amarrar quaisquer forças malignas que quisessem nos causar dano ou matar nossos obreiros em países de maioria muçulmana. Jim Stier me pediu que liderasse em oração e depois Frank continuou. (Isto aconteceu pouco antes de Frank assumir responsabilidade como Presidente). Entramos num tempo poderoso de batalha espiritual em unidade e em alto som, e Frank deu continuidade com o estilo Maori de guerra. Foi uma experiência espiritual inesquecível.

Anos depois chequei com Steve C. e ele disse que não cria que tivesse ocorrido nenhuma morte entre nossos obreiros em quaisquer países muçulmanos nos 2 ou 3 anos logo após aquele evento.

Parece que nem todos os JOCUMeiros estão convencidos sobre guerra espiritual, e, lógico, alguns excessos às vezes acontecem. Mas creio que o ensino da Palavra é claro, pelo menos para aqueles que crêem na natureza personificada e sobrenatural dos seres malignos resistindo ao avanço do Reino com todos os seus poderes limitados. Creio também que é perigoso ignorar o ensino de Jesus quanto a este assunto. Não é este o tempo de nos unirmos uma vez mais, não em um mesmo lugar como o fizemos em Fortaleza, mas ao redor do mundo em oração e AMARRAR o homem forte que não deseja que seus cativos sejam libertos?

Segue abaixo mais ensino neste tópico para ser usado quando necessário:

A prática de ‘amarrar o homem forte’ é contestada por alguns no Corpo de Cristo; certo ensino afirma que a palavra de Jesus sobre amarrar e soltar (ligar e desligar, em algumas versões) em Mat 18:18 foi dada num contexto de perdoar pecados e disciplina da igreja (vs. 15-17), e não de batalha espiritual. No entanto, o vs. 19 fala sobre orar por QUALQUER COISA, e ninguém acha que esta promessa está limitada ao perdão e disciplina da igreja.

Além disto, Jesus falou sobre a autoridade da Igreja de amarrar e soltar (ligar e desligar) três vezes em Mateus, o Evangelho da autoridade. Não podemos olhar para somente uma destas passagens, temos que, obviamente, considerar as três juntas.

A palavra de Mateus 12, citada acima, é dada num contexto de liberação de poder nos encontros de Jesus à medida que se fazia conhecido aos discípulos e aos fariseus. Está bem claro que aqui não há nada relacionado com a disciplina da igreja, mas é nos dado para demonstrar que o cativeiro de certos não-crentes é o resultado de seres espirituais fortes que os mantém presos e que devemos, antes de qualquer outra coisa, lidar com tais seres espirituais.

A outra palavra sobre amarrar e soltar, em Mateus 16:13-19, é dada num contexto de edificar a Igreja e sua incrível autoridade sobre o inferno (vs. 18). O Senhor nos disse: ‘Eu lhe darei as chaves do Reino dos céus; o que você ligar na terra terá sido ligado nos céus, e o que você desligar na terra terá sido desligado nos céus’ (vs. 19) Que promessa incrível! Não é de se admirar que nos intimidemos diante de tal autoridade; é difícil entendê-la. Como sabermos se a usamos corretamente? Quando os líderes da Igreja estão em unidade, concordando na necessidade de orar desta forma.

Outra passagem chave está em Salmos 149:6-9, revelando o que acontece nas regiões celestes quando a Igreja se move em altos louvores. Esta passagem não pode se referir a reis e nobres humanos que não seriam afetados pelo louvor. Muitos crêem que há um paralelismo na organização dos Salmos, com o Salmo 150 sendo ligado ao primeiro Salmo, Salmo 149 ao segundo, etc. Quando olhamos para o Salmo 2, muito frequentemente orado pelos JOCUMeiros, vemos as principalidades sobre as nações tentando livrar-se das amarras que o Senhor lhes colocou para restringir suas atividades malignas; e a promessa messiânica de que as nações pertencem ao Filho, e portanto, ao Seu povo.

Creio que estamos vivendo um Salmo 2 no momento, quando o governo de Jesus está se tornando mais e mais manifesto, e as principalidades estão retaliando, tentando adiar o inevitável. Já fizemos uma certa quantidade de amarrar os governantes através de nossos louvores nas nações (Sl. 149), mas chegou a hora de orarmos de acordo com Seu ensino em Mateus e amarrá-los no Nome de Jesus, de forma mais intencional e específica.

A versão de Mateus da Grande Comissão é baseada na autoridade de Jesus. Ele nos diz para ir a todo o mundo, batizando e discipulando as nações e ensinando-os tudo o que Ele nos ordenou, porque toda autoridade nos céus e na terra lhe foi dada! Isto significa que entender Sua autoridade e saber como usá-la deve ser essencial para completar-se a tarefa de missões. Na medida em que fizermos isto, seremos capazes de receber as nações como nossa herança.

Tom Bloomer
Reitor Internacional
Universidade das Nações

JOCUM BRASIL Comunicação trabalha para conectar você ao mundo missionário, e é entre outras coisas responsável por este Website.

0 Comentários

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*