Menu

Achando Deus no Lixo Categorias:
Artigos

Em Adis Abeba, capital da Etiópia, existe um lixão aonde vive um grupo de crianças e jovens. Os cidadãos locais os chamam de “monstros”. Quando eu e meus amigos da base da JOCUM em Herrnhut (Alemanha) retornamos do nosso prático, pela primeira vez, percebemos esse grupo de crianças e jovens ali agachados em meio a tanto lixo.

Alguns meses depois, nós retornamos com a nossa próxima equipe de prático da Escola de Discipulado e Treinamento (ETED) e achamos muito mais pessoas que o que esperávamos. Os moradores locais nos informaram que este grupo era uma gang violenta em que os membros eram viciados em álcool e drogas. Muitos nos alertaram a não ir àquele lugar perigoso. Houve até uma pessoa que falou: “Aquelas pessoas são monstros, eles estão cobertos de tatuagem, dormem na sujeira, comem lixo, bebem veneno e não morrem!

Quando nos deparamos com a verdade, foi de quebrar o coração: achamos 25 crianças e jovens simplesmente lutando para sobreviver. De primeiro, não foi fácil ganhar a confiança deles. Descobrimos que muitos vieram antes de nós, tiraram fotos e prometeram ajudar, mas nunca retornaram. Isso era o que as “crianças do lixo” esperavam de nós. Enquanto sentávamos, celebrávamos e ríamos com eles, eles começaram a confiar em nós cada vez mais. Eventualmente eles até nos convidaram para comer com eles.

Sabíamos onde eles conseguiam a comida: no lixo. Mesmo assim, nós estávamos decididos a comer com eles. Nós comemos frango – ou melhor, ossos de frango já comidos em que podíamos achar um pouco de carne. A mesma comida foi espalhada para os cachorros e os porcos. Nós bebemos chá preto feito com água pega em poça d’água e açúcar conseguido naqueles saches que são distribuídos em aviões durante o serviço de bordo. As coisas que ouvimos deles não eram verdade: em vez de violência, havia amizade. Em vez de drogas, encontramos uma comunidade forte. Todos eles tinham adotado uns aos outros como familia.

Quando perguntamos a Brahano, de 23 anos de idade, que era tido como o “pai” do grupo, o que poderíamos fazer para ajudá-los, a sua resposta nos surpreendeu: ele queria alguém para ensiná-los sobre a Bíblia.

Ele nos contou que existia um homem chamado Mike na comunidade. Quando Mike tinha 06 anos, seus pais morreram e ele se mudou para o lixão para conseguir sobreviver. Ele ia para a escola de vez em quando, para aprender a ler e a escrever em inglês. Depois de achar umas fotos de Jesus e uma Bíblia entre o lixo, Mike dedicou sua vida a Jesus. Ele era o primeiro cristão do lixão, mas a cada dia mais, a mensagem de Jesus era aceita pelo grupo.

Todos os dias que nós temos algo para comer, nós compartilhamos um com o outro”, afirma Brahano, que prossegue, dizendo: “Se não temos nada, agradecemos a Deus e então vamos para a cama”.

Depois da janta, nós começamos um “louvorzão” no meio do lixão. Tínhamos guitarra e, juntando algumas latas e garrafas, montamos uma bateria. O cheiro terrível de queimado e de lixo parecia evaporar enquanto dançávamos e ríamos ali juntos.

Ao cair da noite, esfriou bastante e, daí, nós lançamos chinelos quebrados no fogo para nos esquentar. Tentamos fazer isso sem respirar a fumaça tóxica que subia com aquela enorme nuvem preta. Algumas das meninas nos contaram suas histórias. Muitas delas moram com famílias que não tem dinheiro suficiente para alimentá-las. Elas trabalhavam extra-oficialmente para o Governo, recolhendo lixo a 30 centavos por dia.

Passamos a noite com eles. Nós nos deitamos sobre uma colcha, e eles nos disseram que estávamos seguros. Nós só conseguíamos pensar no que eles estavam querendo dizer com isso. Era uma noite fria e sem sono e na manhã seguinte, nós estávamos todos cheios de mordidas doloridas de pulgas. Nós experimentamos esse pesadelo por uma vez. Agora, as crianças e os jovens do lixão experimentam essa realidade amarga todos os dias.

Depois de um café da manhã tendo mais chá e restos de comida de um hotel, nossa equipe liderou um estudo bíblico. Falamos sobre o amor de Deus e um dos jovens perguntou: “como que funciona isso? Isso de nós amarmos a Deus? Como é que é isso?” Discutimos sobre amar outras pessoas antes de orarmos juntos. Alguns de nosso grupo falaram sobre o seu próprio relacionamento com Jesus.

A confiança tem crescido, mas as circunstâncias são difíceis. Em uma oportunidade, uma gangue colocou fogo no quarto onde os rapazes dormiam e informou à polícia que as crianças estavam planejando um golpe. Com isso, alguns rapazes foram presos, mas depois, todos foram libertados.

Apesar do envio de equipes de curto prazo, a JOCUM ainda permance sem presença permanente no local. Há muito para ser feito.

Mesmo que a sociedade ao redor deles os considere repulsivos tanto quanto o lixão em que moram, sabemos que essas crianças e jovens são importantes para Deus.



  • Pingback: Notícias « Africa para Cristo – Projeto Senegal()

  • Junior

    A paz amado sou de jocum _contagem e preciso urgentemente falar com vc pois estamos para ir paraEtiópia para realizar um documentario e a base aqui temos um projeto novo para implantar la atraves da cobertura do Jim Stair,e projetos Internacinais sendo de longo prazo e acredito que vc poderia nos abençoar me add. me liga aqui na base no meu cel 31-8825 3400 no escritorio da base podendo tbm falar com o Kelsimom diretor da base,pois ele ira tbm,aguardo retorno

  • CRISTIANE NUNES

    admiro muito este trabAlho gostaria de saber maissobre o seifa q deus o abençoe

  • wilza nunes

    Oi amados, que a Paz esteja com vocês. Este trabalho é realmente fantástico. Sou professora, estou sendo capacitada em linguagem Braille, nunca escolhi isto pra minha vida mas a cada dia que passa sei que isto é mistério de Deus pra mim. Só penso que isto seria útil em missões, mas como?Tenho confiado cada passo de minha vida ao Senhor e espero estar no caminho certo para servi-lo. Um abraço.Que Deus os abençõe mais.

  • gloria de cassia martins

    Impactante a história destes jovens. Como posso a judar? Não gostaria de utilizar o pag seguro. Aguardo resposta. Q o Senhor os abençoe.

  • Jaqueline

    Bom, parabenizo vocês e louvo a Deus por suas vidas, por viverem tanto o amor que Deus nos ensinou, para com as vidas que vemos que precisa.
    Quero insentiva-los com uma pequena frase de um hino que diz: “Que o cordeiro receba a recompensa dos seus sofrimentos através de mim”. Creio que esta é a frase ou o pensamento principal de todos os missionários que tem lançado mão (não somente “mão”, mas as suas vidas) nesta obra tão espinhosa que é levar as boas novas as nações. Que Deus os abençoe poderosamente.

  • A paz do Senhor a todo que fazem parte deste lindo grupo chamado Jocum. Quero parabeniza-lo por esse excelênte trabalho que vcs vem desenvolvendo na Etiopia,pois acredito que não seja nada fácil ter que dormir no lixão junto com esses meninos, é por isso que acredito no trabalho da jocum pois sei que o maior alvo da Jocum é que as pessoas venham conhecer e se converter ao senhor Jesus!!!!!!!
    Que vcs possam confiar primeramente em Deus e saber que em todos os momentos ele está com vcs,estou orando para que vcs´possam desenvolver um belissismo trabalho,fica na paz

  • miss. Eva

    Queridos, que belo trabalho.
    Recordei-me quando estivemos em África do Sul no nosso prático e fizemos um trabalho em um lixão. Fomos grandemente movidos pelo Espírito Santo de Deus e foram dias que jamais esquecerei.
    Deus os abencoem e continue vos capacitando.
    Um forte abraço
    Miss. Eva

  • sinara

    paz do senhor amado irmao,fiquei chocada ao ler este artigo q escrevestes,tenho orado muito por voçes…mas tenho certeza que este trabalho de voçes alegra o coraçao do PAI…que DEUS os abençoe sempre um grande abraço

  • Rosane

    A paz do Senhor amados, o chamado que Deus tem pra mim tem o perfil do jocum. muito lindo e emocionante. Deus continue abençoando essa equipe.

  • carlos alberto

    A paz de Cristo para todos. Às vezes, para ganharmos almas para Jesus, temos que comer até lixo. O segredo é a graça de Deus sobre a vida desses homens de Deus. Que Deus os proteja e os cubra com o sangue de Jesus. Sou seminarista e vivo envolvido na obra do Senhor. É gratificante serví-lo.

  • marise

    estou indo para o Quenia esse mes e posteriormente a Etiopia esse e o chamado de Deus para mim sou tec em enfermagem e fiz microscopia de malaria e um curso de saude na jocum de Porto Velho.gostaria dentrar em contato com voces,Deus e poderoso para fazer muito mais atravez daqueles que se dispoe.
    Marise sperandio

  • ELAINE ABDON

    GOSTARIA DE FAZER PARTE DESTA EQUIPE JOCUM BRASIL. COMO FAÇO? MORO NO DF. POR FAVOR ME FALEM!!!!
    61-35355025