Notícias de Jovens Com Uma Missão.

Artigos

Domingo sem Páscoa na China

Domingo sem Páscoa na China

Um grupo de cristãos protestantes foi detido por policiais chineses no momento em que se preparava para fazer um culto de Páscoa em um local público, aberto e não liberado pelo Governo da China, em Beijing, neste domingo, 8h, horário local.

De acorco com a cobertura de Alexa Olesen (http://http://www NULL.beaumontenterprise NULL.com/news/article/Beijing-detains-illegal-church-members-on-Easter-1350210 NULL.php#photo-8) e Ng Han Guan, da agência de notícias Associated Press (AP) e, conforme reportagem publicada pela agência de notícias BBC tanto internacional (http://www NULL.bbc NULL.co NULL.uk/news/world-asia-pacific-13180842) quanto nacionalmente (http://www NULL.bbc NULL.co NULL.uk/portuguese/noticias/2011/04/110424_pequim_pascoa_rp NULL.shtml), os policiais – que estavam tanto uniformizados quanto à paisana – abordaram o grupo de cristãos e detiveram, segundo um membro da Igreja entrevistado pela AP, em torno de 30 pessoas, havendo inclusive jovens entre elas, as quais, foram colocadas dentro de um ônibus e levadas a uma delegacia.

O grupo pertence à Igreja Shouwang, uma das maiores igrejas familiares (“igrejas nos lares”) de Pequim, que tem tentado se reunir todos os domingos em algum local público, desde que fora proibida de se reunir em seu lugar de costume, há três semanas atrás. Mas, infelizmente, eles têm sido detidos e postos debaixo de um regime de prisão domiciliar todas as vezes que tentam se encontrar publicamente para cultuar a Deus.

Segundo o correspondente da BBC em Pequim, Damian Grammaticas, a operação começou às 8h de domingo (24/04), horário local (o que corresponde a 21h de sábado, 23/04, no horário de Brasília). Para Grammaticas, o distrito de Zhongguancun em que o grupo da Igreja Shouwang estava tentando se reunir para celebrar a Páscoa neste domingo foi tomado por policiais uniformizados e à paisana, além de viaturas. Conforme Grammaticas, nas últimas semanas, o governo expulsou a Shouwang do prédio que costumava ocupar e impediu a igreja de se mudar para sua nova sede, construída com dinheiro dos fieis. Os líderes da Shouwang estão em prisão domiciliar.

Com a palavra, um cristão Shouwang
Lu Jia, um cristão que faz parte da Igreja Shouwang e que estava em prisão domiciliar desde sábado à noite até a tarde deste domingo, comentou por telefone com a equipe de reportagem da AP, que ele e sua esposa hospedavam em sua casa um culto de uma hora e meia utilizando um texto de reflexão atualizado pelo pastor deles na Internet.

“De antemão, eu saí de casa e disse aos homens que estava de guarda diante da minha porta que eu não queria argumentar com eles, mas, que eu precisava lhes dizes que o que eles estavam fazendo era ilegal, que eles violaram meu direito de acreditar, de praticar minha fé” - comenta Lu que, prossegue, dizendo: “Então, nós tivemos um rápido culto em que lemos juntos o sermão do pastor e alguns versículos escolhidos da Bíblia”.

Lu comentou que todos os pastores e líderes da igreja Shouwang estão sob prisão domiciliar e que 30 membros foram detidos assim que eles chegaram ao ponto de encontro destinado à celebração de Páscoa. Lu e outros estavam se articulando para irem à delegacia para tentar negociar a libertação dos detidos.

Oremos pela China: pelo fim das controvérsias do Governo
Enquanto que a Constituição da China garante a liberdade religiosa, aos cristãos é requerido cultuar em igrejas governadas por organizações controladas pelo Estado, tais como o “Movimento Patriótico das Três Autonomias (http://en NULL.wikipedia NULL.org/wiki/Three-Self_Patriotic_Movement)” (National Committee of the Three-Self Patriotic Movement of the Protestant Churches in China) e a “Associação Patriótica Católica Chinesa (http://pt NULL.wikipedia NULL.org/wiki/Associa%C3%A7%C3%A3o_Patri%C3%B3tica_Cat%C3%B3lica_Chinesa)” (ou Chinese Patriotic Catholic Association for Catholics).

Porém, de acordo com estudiosos da Religião e ativistas da Igreja por lá, existem na China aproximadamente 60 milhões de cristãos que cultuam a Deus em igrejas não registradas nos lares, enquanto que, estima-se que há 20 milhões de cristãos prestando culto ao Senhor nas igrejas estatais devidamente registradas.

O crescimento das igrejas nos lares tem aumentado nos últimos anos e isso tem gerado congregações maiores, que, de longe, tem tido mais destaque que os pequenos grupos de amigos e vizinhos que costumam se reunir privativamente em casas, os quais, deram origem à nomenclatura desse movimento.

A expansão e o crescimento da influência do movimento “Igreja nos lares” tem perturbado as autoridades da China, as quais tem suspeitado de todo e qualquer grupo social independente que possa vir a desafiar a autoridade Comunista do País. Por conta disso, os membros da igreja Shouwang, por exemplo, há anos têm estado nos limites de sua liberdade religiosa perante as autoridades de Pequim (Beijing). Em sua última declaração oficial na semana passada, por exemplo, eles afirmaram que tentaram se registrar perante o Governo em 2006, mas, tiveram seu pedido rejeitado. Em Dezembro de 2009, a Igreja Shouwang comprou uma propriedade na região noroeste de Pequim para que pudesse ter um espaço para realizar suas celebrações rotineiras de domingo, mas, conforme a declaração, a interferência governamental impediu que o grupo ocupasse o espaço comprado.

Por isso, mesmo que hoje no Brasil estejamos todos celebrando alegremente a ressurreição de Jesus neste domingo de Páscoa, que nós possamos lembrar da China em oração, intercedendo pelos nossos irmãos cristãos chineses, pelos missionários daqui que estão por lá e  missionários de lá que estão pelas nações, clamando por estratégias renovadas para o exercício público da fé e por uma transformação social plena do Governo do País, transformação essa, que venha gerar renovação de valores e posturas que culminem na liberdade religiosa para os que professam a Cristo.

Ações preventivas contra levantes sociais anti-comunistas
As detenções desta Páscoa, segundo Grammaticas da BBC, ocorrem em meio a uma das maiores operações do Governo contra a dissidência interna, desde o massacre da Praça Tiananmen (ou Praça da Paz Celestial) que aconteceu em 1989.

Nos últimos meses, dezenas de ativistas pró-direitos humanos, advogados, blogueiros e artistas foram detidos. Alguns receberam longas sentenças de prisão, enquanto outros foram pegos pela polícia e desapareceram, conforme Grammaticas. Para ele, analistas acreditam que o Partido Comunista chinês, preocupado com as revoluções pró-democracia que têm acontecido em países árabes atualmente, está se antecipando e esmagando possíveis ameaças ao regime antes que elas possam sair do controle.

Que o Senhor nos inspire e nos direcione em oração por todos esses acontecimentos!

FONTES
Imagens:
Ng Han Guan / AP

Notícia da Associated Press (http://www NULL.beaumontenterprise NULL.com/news/article/Beijing-detains-illegal-church-members-on-Easter-1350210 NULL.php#ixzz1KS3nTYNi)

Notícia da BBC Brasil (http://www NULL.bbc NULL.co NULL.uk/portuguese/noticias/2011/04/110424_pequim_pascoa_rp NULL.shtml)

Notícia da BBC Internacional (http://www NULL.bbc NULL.co NULL.uk/news/world-asia-pacific-13180842)

Wikipédia: (http://pt NULL.wikipedia NULL.org/wiki/Associa%C3%A7%C3%A3o_Patri%C3%B3tica_Cat%C3%B3lica_Chinesa)
http://pt.wikipedia.org/wiki/Cristianismo_na_China (http://pt NULL.wikipedia NULL.org/wiki/Cristianismo_na_China)
http://en.wikipedia.org/wiki/Three-Self_Patriotic_Movement (http://en NULL.wikipedia NULL.org/wiki/Three-Self_Patriotic_Movement)

Casado com Daniela e pai de Laura, Saulo é jornalista, intérprete de Libras e tradutor. Em Jocum desde 2006, está na equipe do Comunica Jocum em Sampa.

Deixe seu Comentário

  • 4K Framework
  • ban-prayer