Menu

Cuidando das Pessoas Categorias:
Artigos

É triste perceber a tendência de amar coisas e usar pessoas, não ?

Pensandinho é uma série de vídeos com Isabel Zwahlen, onde assuntos importantes são tratados com a relevância que devem ter na sociedade atual. Vamos pensandinho?



  • Karin

    Olá Isabel, segundo o antropólogo Roberto da Matta em uma das suas obras ele afirma que a sociedade industrial, individualista e moderna compõe em seu ritual nos espaços coletivos uma concepção e competição estimulando o individualismo englobando a disputa em um campeonato a qual o sujeito vitorioso é também um sujeito de vantagens e privilégios. O personagem “malandro” o que se dá bem, que possui vantagens e não uma perspectiva de pertencimento no lugar ele apenas pretende garantir seus privilégios. Essa garantia de privilégios, possuir vantagens e “se dar bem” leva o sujeito a amar coisas e a usar pessoas, dificilmente estará interessado em construir relacionamentos duradoros. Os desafios de ir alem diante de diferentes esferas de informação é trazer novas reflexões para que haja a inclusão de todos neste lugar de pertencimento afim de avistar o horizonte de valores, acolhimento emocional, sentimentos verdadeiros e humano, qual pessoas sejam vistas como pessoas e não como objetos.
    Forte abraço!

  • Alexandre Targino

    Sra Izabel Zwahlen, amada irmã em Cristo Jesus, resumo vosso monologo nos escritos de Atos dos Apóstolos 05. Tenho a mesma visão do contexto, unidade, interação e serviço na Graça. Paz. Cordialmente Revdo Alexandre Targino