O Cristianismo e a China

O Cristianismo e a China
5 de novembro de 2009 Saulo Xavier

Marco Pólo, no século 13, descobriu que a China inventou a seda, a pólvora, o papel e muitos outros produtos úteis.  O mundo bateu nas suas portas, mas a China resistiu. Muito tempo depois, comerciantes europeus e americanos chegaram até lá procurando por mercadorias, o que resultou na Guerra do Ópio. Novamente, a China procurou manter estrangeiros fora.

Quando Mao Tse Tung (ou Mao Zedong) conseguiu o controle da China de Chiang Kai-shek em 1949, mais uma vez as fronteiras foram fechadas para o mundo exterior. O reinado ateísta-comunista de Mao trouxe tempos difíceis para o povo chinês, mas ele também melhorou o transporte e unificou o idioma falado pelo povo. Ambas melhorias facilitaram a chegada das Boas Novas do Evangelho ao alcance do povo comum.

De acordo com o livro “Intercessão Mundial”, 49,5% dos chineses são pessoas sem religião, enquanto que 28,5% seguem as crenças tradicionais da China, 8,4% são budistas e 7,3% são cristãos. Os que estão seguindo suas próprias crenças étnicas tradicionais somam 4,3% e os muçulmanos compõem os 2% restantes da população.

Muitos dos chineses que se consideram budistas usam sua religião como um amuleto de boa sorte para buscar dinheiro e bênçãos para a vida Lama é uma grande força.

A concentração da população muçulmana da China é mais localizada no noroeste do País. Esses muçulmanos parecem ter um vínculo forte com os seus vizinhos da Ásia Central. Agitações passadas nessa área dificultaram o trabalho do Evangelho.

Muitos dos povos minoritários da China continuam animistas em relação a como eles vêem o seu mundo, mesmo que sejam educados com uma ensino sem orientação religiosa.

A primeira evidencia missionária Cristã foi vista com a chegada dos nestorianos, em 635 AD. Evidências dos esforços nestorianos ainda existem até hoje na cidade de Xian. Depois, os padres católicos chegaram em 1600.  Em 1834, Robert Morrison, o primeiro missionário protestante, veio traduzindo a Bíblia para o Chinês.  Boa parte dessa mesma Bíblia ainda está sendo usada até hoje pelos chineses. Seguindo o exemplo de Morrison, outros missionários vieram, incluindo Hudson Taylor, que levou a mensagem do Evangelho para o interior da China.

Todos os esforços cristãos parecem ter sido levados a uma parada abrupta, quando Mao Zedong fechou todas as fronteiras da China em 1949.  Quando o País reabriu “suas portas” pela primeira vez, em 1977, todos estavam impressionados ao descobrirem que o Cristianismo não tinha sido estagnado. Na verdade, tinha desabrochado e crescido. Embora seja localizado, hoje existe uma grande agir de Deus acontecendo nessa Nação.

Os primeiros missionários chineses da China estão sendo levantados por Deus. Vários cristãos chineses crêem que a Igreja Chinesa foi comissionada por Deus para desempenhar um papel significativo no levar o Evangelho de volta a Jerusalém e para o resto do mundo; e a JOCUM quer ser parte desse grande movimento missionário.

“No Congresso do Call2All em Hong Kong, em 2009, 860 pessoas da Igreja nos Lares, Três Autonomias e Igrejas Urbanas foram autorizados a virem,”  disse Loren Cunningham em uma entrevista na última reunião da Liderança Global da JOCUM.  “Esse foi um avanço enorme. Muitos nunca tinham estado antes em uma grande reunião pública igual a essa.”

Ainda existe perseguição de cristãos pelo Governo.  Alguns pastores foram espancados e aprisionados por causa de sua fé.  Muitos grupos minoritários ainda não têm testemunho de Cristo no seu meio.  Grande é a necessidade!

Ao ler tudo isso, lembre-se de que a China é igual à história dos homens cegos que estavam passando as suas mãos sobre o elefante e descrevendo o que sentiam… Um sentiu e descreveu a perna, enquanto outro sentiu a tromba, outro sentiu o rabo e ainda outro sentiu o lado do elefante…  Cada lugar na China é diferente. Freqüentemente, é dito que a China é uma nação composta de pequenos reinos. Não se surpreenda se o Senhor te levar a orações variadas e diversas pela nação da China, porque ela é uma nação grande e diversa.

No dia 05 de Novembro de 2009, missionários da Jocum espalhados pelo mundo todo estarão orando pela China. Junte-se a nós!

Publicado originamente em Ywam Prayer Day – Tradução: Saulo Xavier

Casado com Daniela e pai de Laura, Saulo é jornalista, intérprete de Libras e tradutor.

7 Comentários

  1. ana paula 7 anos atrás

    Boa tarde !Gostaria de mais informaçoes sobre a oraçao pela china no dia 5 de novembro( hoje ) .Grato!

  2. Angela Santos 7 anos atrás

    Onde posso aprender mais da Cultura Chinesa e o Mandarim; como evangelizar esse povo?

  3. sirlei ribeiro 6 anos atrás

    sou ex jocumeira e
    oro pela china tenho conhecidos morando lá.
    gastaria de ter noticias da miss. solenge alano.

  4. Daniely 6 anos atrás

    Paz! Estou lendo um livro maravilhoso sobre a vida do irmão Yun… Ele conta em detalhes toda sua vida,as perseguições,as mortes…
    Espero que possam ter a oportunidade de ler esse lindo livro.
    E em breve,estarei estarei na Jocum…
    Fiquem na paz…
    Deus abençoe…

  5. emnauel 6 anos atrás

    pois a china e para mim um sonho q da qual eu qro muito realizar em prol da salvaçao e libertaçao daquele povo.e eu creio q um dia eu vou mim gastar e se deixar gastar em prol da salvaçao q DEUS um dia mim revelou em um dia fazer missoes!!!!

  6. risoneide 6 anos atrás

    este material é muito esclarecedor,gostaria de saber como adquiri-lo pois iremos realizar nossa campanha missionária no final do més, é a sala de novos convertidos ficou com este tema.Sou da Igreja Metodista dos Guararapes,Jaboatão dos Guararapes,PE.Fiquem com Deus

  7. Flávio 6 anos atrás

    QUE MELHOR PRESENTE PARA ESTE PAIS VENHA DE DEUS.SEJA ABENÇOADO TODOS OS MISSIONARIOS DE OUTROS PAISES QUE ESTÃO NA CHINA UM NOVA HISTORIA DEUS TEM PRA TODOS VOCÊS.ABRAÇÃO DO IRMÃO A PAZ DE DEUS ESTEJA COM TODOS.

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*