O Rio e a batalha contra a Dengue

O Rio e a batalha contra a Dengue
4 de abril de 2008 JOCUM Rio de Janeiro

No momento em que escrevo este e-mail o Estado do Rio de Janeiro está sendo assolado por uma epidemia de dengue.
O total de casos de dengue registrados no Estado do Rio de Janeiro em 2008 passou dos 57 mil. O novo balanço apresenta um aumento de cerca de 14 mil casos em relação ao relatório anterior, quarta-feira passada. A capital do Estado ainda é a cidade com maior número de casos, com 36.647. Nova Iguaçu, na região metropolitana tem 3.643 registros e Angra dos Reis 3.711. O número de mortes atingiu 67 pessoas.
Nós da Jocum Rio não estamos livres da epidemia, pois uma de nossas obreiras, Elka Jacarandá, casada com Albano, que por 2 anos trabalharam no Marrocos, está internada a 6 dias com dengue hemorrágica. Sua situação é critica, requer todo o cuidado e uma mobilização de intercessores. O casal tem dois filhos, Riad, 5 anos, e Johann, que vai fazer 2 anos.
A Dengue é resultado de políticas públicas deficientes e contraditórias e de uma confusão em relação a responsabilidade sobre o mosquito: ele é federal, estadual ou municipal? Enquanto isso mais e mais pessoas estão chegando aos hospitais e postos de saúde, acometidas pela doença.
Diante de tanto sofrimento, não podemos ficar parados. Como cidadãos assumimos que a responsabilidade de combater a dengue também é nossa.
Por isso estaremos em parceria com a Defesa Civil treinando 10 jocumeiros para servirem como brigadistas, capazes de combaterem focos do mosquito Aedes aegypti, e habilitados oficialmente a treinarem outras pessoas para combater a dengue. Gostaríamos de desafiar todas as bases a enviarem voluntários para receberem este treinamento aqui no Rio e trabalharem em caráter de emergência em nossas comunidades.

Demais ações:

  • Mutirão nas comunidades com conscientização e combate a dengue;
  • Mutirões para recolhimento de lixo em comunidades;
  • Distribuição de telas para caixas d’água;
  • Treinamento nas comunidades sobre identificação de criadouros do mosquito transmissor;
  • Passeatas;
  • Assistência em hospitais (serviço de capelania);

Que Deus os abençoe e contamos com a sua colaboração.

A partir do Rio, alcançando as Nações

0 Comentários

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*